PRVW

PRVW

Operando desde 1986 no mercado de Jornalismo Empresarial e online desde 96, a Preview é a mais antiga empresa brasileira exclusivamente voltada ao fornecimento de conteúdos jornalísticos para new media. Fornecedora de empresas como J.P.Morgan, GE-Dako, LG Electronics e Folha de S. Paulo, entre várias outras, a Preview conta com uma equipe de redação em São Paulo, além de correspondentes no País e Exterior.

Idéias E Lutas

por Fernando A. Dal Piero

O material que estamos publicando no Periscope está sendo preparado para, com outras coletâneas do mesmo autor, formar um livro. Acreditamos que a sua leitura estimulará a controvérsia e a curiosidade nos leitores.

Os escritos são o resultado da construção de sinopses dos mais de 1000 artigos já publicados em diversos jornais do Brasil e do exterior durante muitos anos de produção. Tratam os referidos artigos de variados assuntos, tais como: realidade empresarial no decorrer dos anos, realidade empresarial na virada do milênio, o combate ao desperdício e a improdutividade sistêmica, as políticas regionais, o corporativismo e de outros desafios atuais.

Apesar de escrever os artigos, curtos na estrutura e no fraseio; procuro fazer com que tenham fôlego. Representam, no conjunto, subsídios para o conhecimento de muitas faces das idéias e da conduta de Dal Piero na vida pública e pessoal.

Além disso, estão impressas algumas das sugestões encaminhadas à empresas privadas e Órgãos de Governo sobre os mais diversos assuntos, em especial a Qualidade de Serviços e Conceitos Econômicos / Produtivos.

Temos conhecimento, até por conta da participação pessoal, que este acervo vem sendo regularmente utilizado na formatação de Planos de Ação de muitas empresas privadas e públicas. Isso é um motivo de grande satisfação e nos orgulhamos disso.

————————————————————————– MERCADO

O conceito de mercado deve estar associado ao benefício que qualquer ação pode gerar para a sociedade. Para dimensionar o seu tamanho, devem ser considerados os consumidores “por capacidade” e aqueles potenciais.

Assim, o mercado é constituído, pelo conjunto de pessoas e entidades que podem beneficiar-se com os serviços ou produtos que estão à disposição. São famílias, empresas, órgãos governamentais e outras entidades que, de alguma forma, são seus usuários atuais ou potenciais. O mercado se confunde com a própria sociedade, que, apresenta características peculiares, e requer produtos adequados à sua realidade.

————————————————————————– RESERVA DE MERCADO

O interesse de uma classe não vence o interesse da coletividade. As profissões nascem, crescem e desaparecem, de acordo com as condições econômicas e em resposta à adaptação que garante a perpetuidade da vida humana.

Se fossemos fazer prevalecer sobre os fatos os interesses particulares, não se teria construído portos modernos, pois estariam extintos os catraieiros. Não se abririam estradas de rodagem porque os caminhões acabariam com o meio de vida dos tropeiros.

————————————————————————– MERCADO DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

Nunca é demais lembrar que a tecnologia da informação tornou-se a peça fundamental do desenvolvimento da economia e da própria sociedade. O setor das telecomunicações é hoje, sem dúvida, um dos mais atraentes e lucrativos para o investimento privado, em nível internacional. Investir nessa atividade no mundo, em geral, e num país com as dimensões e o potencial do Brasil em particular, é a certeza de retorno equilibrado e por muito tempo.

Certos estudos indicam que a demanda não atendida alcança a 85% do que dispomos atualmente, especialmente na Região Nordeste.

Evidentemente que o Brasil vai buscar encontrar uma fórmula para a organização institucional do setor de telecomunicações que, ao mesmo tempo em que promova os investimentos privados, reforce o papel regulador do Estado.

Qualquer investidor deve estar pronto para dizer exatamente até que ponto está disposto a compartilhar objetivos sociais.

————————————————————————– SOBRE O PLANEJAMENTO

O Planejamento vive na atualidade uma crise. Certos “ gurus” dizem que a intervenção pelo planejamento, tanto é ineficaz para superação dos problemas atuais como é a própria causa destes problemas; por outro lado a perplexidade frente às transformações atuais dão a nítida impressão de que a turbulência do ambiente sócio econômico mundial e nacional é tão intensa que nada pode ser antecipado, previsto, equacionado. Compete-me discordar. Independente das necessidades técnicas que o Planejamento atende temos ainda as necessidades atávicas, que ficam satisfeitas.

O homem é um ser social. Só ele se torna assustado, assim, ele alivia seu temor planejando.

E dificilmente o ato de planejar é abandonado, pois isso, abandonar o planejamento e a fé, corresponde a soltar o terror que está guardado em cada um de nós.

Planejar, portanto, é o ato de viver.

————————————————————————– O QUE É ESTRATÉGIA E POSICIONAMENTO

A política; quanto arte de fixar objetivos deve predominar sobre a estratégia A estratégia deve predominar sobre a tática; A estratégia influencia a política; A tática influência a Estratégia e A logística limita e influencia, tanto a tática quanto a estratégia e consequentemente a política.

O êxito na consecução dos objetivos traçados na política depende da visão de domínio de espaço por parte dos estrategistas. O raciocínio estratégico implica na perfeição do que é essencial no contexto externo, a reflexão e a seleção inteligentes dos fatores críticos, avaliação do grau de urgência da resposta e criatividade das alternativas. Na busca da estratégia misturam-se pensamento lógico com intuição, não como algo sobrenatural e sim quanto capacidade de acessar experiências; análise com síntese - procura-se o todo antes das partes, reconfiguram-se idéias, confronta-se o objetivo com o subjetivo na busca persistente do insight estratégico. Nos tempos atuais, mais do que no passado, esta atitude é exigida de todos aqueles que pretendem indicar e recepcionar o futuro.

————————————————————————– CONCORRÊNCIA MONOPOLÍSTICA, LUCROS E CLIENTES

Hoje, vivemos um período no qual todas as grandes organizações estão alinhadas quanto à Qualidade e preço. O que fará um cliente comprar esta ou aquela marca, é a empatia que sejam capazes de produzir.

Assim, mais do que nunca, é preciso dizer o que é feito com o lucro organizacional.

A cada dia, os trabalhadores vêm o resultado de seus esforços serem canalizados para a abertura de novos fábricas, para os acionistas, para os diretores que ampliam a desigualdade salarial, e não para cursos de reciclagem, melhoria da qualidade de vida e participação social.

Refrear essa conduta é assegurar o próprio negócio. Permanecer nela, cria o repúdio do trabalhador ao lucro, e ameaça até mesmo a existência dele. AVALIE SUA EMPRESA

Calcule quanto sua empresa gastou nos últimos meses, em porcentagem do faturamento, discutindo macroeconomia, inflação inercial, congelamento de ativos financeiros, preços e outras tantas variáveis(…) Para uma Instituição financeira, isso, até certo ponto, é a própria atividade.

No entanto, o grosso da discussão ocupa os diretores das companhias não-financeiras, que gastam rios de dinheiro contratando consultores econômicos e dedicando o tempo que poderiam destinar à melhoria da produtividade das suas empresas a debates estratosféricos. Tudo isso sem falar no tempo dedicado à leitura dos jornais e outros informativos.

É possível que de 20% a 25% do faturamento esteja sendo desperdiçado nessa brincadeira, o que explica o nosso mergulho na improdutividade e no desemprego conjuntural e levará, sem dúvida, qualquer organização ao fracasso.

O mesmo indicador pode ser utilizado para avaliar o nível de risco econômico de um cliente

————————————————————————– O QUE É UM PARADIGMA

Dois navios de guerra, realizando uma missão de treinamento, estavam no mar à vários dias enfrentando mau tempo durante as manobras.

Os comandantes dos dois navios estavam na ponte ao cair de uma noite. A visibilidade era quase nula, devido ao nevoeiro.

Pouco depois do escurecer, o vigia da ponte anunciou:

Imediatamente o capitão chamou o sinaleiro.

-É melhor vocês alteraram o curso - a resposta veio logo.

Os paradigmas são essenciais à vida. O problema é o modo como interagimos com eles.

Acredito que a fonte permanente das dificuldades que enfrentamos é resultado da falha de interpretação dos paradigmas.

Um exemplo:o povo da região nordeste do Brasil enfrenta, além das agruras do meio ambiente, um paradigma dominante: o das coisas feitas de fora para dentro.

Freqüentemente os governantes dos Estados que compõem a Região reúnem-se com os representantes do governo federal, governadores de outros Estados e líderes empresariais de outras regiões, para definirem políticas de ação social ou de desenvolvimento. Ocorre que, cada um dos grupos envolvidos, quando se reúnem para traçar metas de trabalho, está plenamente convencido de que o problema está “nos outros”, e , se “eles”(os outros) entrassem na linha, a questão estaria solucionada.

Tal e qual a história dos navios e do farol de terra.

————————————————————————– SALÁRIOS

Os aumentos de salários são necessários e não se justifica, pela paralisação do processo inflacionário deixar de discutí-los, desde que evidentemente sejam resultante do aumento da produtividade.

Qualquer tentativa de elevar o salário real além do acréscimo de produtividade leva fatalmente ao desemprego e a um resultado de soma zero.

————————————————————————– SALÁRIOS E CLIMA ORGANIZACIONAL

O pior tóxico para as organizações é o salário.

A meu ver, as diferenças salariais de até 200 vezes entre o que é pago ao diretor presidente de uma organização e o trabalhador comum corroem definitivamente as relações e o sentimento de equipe. Quando esta relação é maior que 20 para 1, o moral da empresa acaba.

Um sistema produtivo só pode funcionar e sobreviver quando a alta administração é aceita como equipe dirigente e faz parte do time dos mortais…

————————————————————————– DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

Ao produzir mais do que o necessário para seu consumo imediato o homem tornou-se um animal diferente. Criou para si a oportunidade de ser um ser superior.

Os seres humanos que vivem da mão para a boca, tornam-se embrutecidos. Aquele que produz mais que o necessário para assegurar sua sobrevivência biológica, pode aspirar a dignidade e à elevação do nível de vida e pode, igualmente, desenvolver sua capacidade afetiva e seu amor pelos semelhantes.

Quer dizer pode contribuir para a busca da paz na terra.

Deve então, utilizar o tempo que passou a sobrar para pensar a respeito de seu trabalho e dirigir o pensamento para minimizar o flagelo de seus semelhantes que por quaisquer motivos ainda sofrem.

————————————————————————– APOSENTADORIA

A essa altura o governo só tem uma alternativa válida: mostrar claramente à população que há um conflito de interesses entre os aposentados e o resto da sociedade.

Não se trata de fomentar uma luta de classes, mas de revelar uma obviedade aritmética.

Num sistema previdenciário que funciona em regime de caixa os aposentados nada recebem pela sua contribuição no passado, a qual já se transformou em pó. Recebem, isto sim, pelo que os ainda não aposentados contribuem para o sistema, que hoje funciona qual cadeia da felicidade.

Pagar mais aos aposentados, portanto, significa tirar mais contribuições do resto da população.

A justiça procurada na igualdade das leis não serve a outro senão ao mais forte

————————————————————————– PROTEÇÃO DE MERCADO CRESCIMENTO

O progresso tecnológico cria seu coeficiente de desperdício, via depreciação acelerada dos antigos investimentos. A única maneira de evitá-lo é incorrer no custo ainda maior do obscurantismo - a recusa do progresso tecnológico.

O crescimento econômico é um processo de destruição criadora, como já lembrava Joseph Schumpeter em 1913. Tal e qual as estações na natureza. Novos produtos e técnicas de produção desbancam os antigos, e o que é a última palavra em termos de modernidade em determinada época pode transformar-se em modelo de obsoletismo alguns anos depois…

Muitos já escreveram: imagine-se o que seria a humanidade se os governos do século passado tivessem resolvido proteger os fabricantes de velas contra a concorrência da lâmpada elétrica.

————————————————————————– EDUCAÇÃO

Justiça seja feita, nenhum dos governos brasileiros até hoje investiu tanto em educação.(…) O que houve foi uma queda vertiginosa na qualidade do ensino, ressalvados certos centros de “excelência.”

Se o Brasil quer efetivamente ingressar no Primeiro Mundo, não basta combater a inflação, coibir os cartéis e abrir a economia ao exterior. É preciso, antes de tudo, investir em educação, treinando os recursos humanos necessários para operar a nova era industrial, e valorizar a mão-de-obra nacional.

Na Inglaterra, o primeiro-ministro Tony Blair, anunciou hoje que estava cortando US$ 20 bilhões de dólares dos orçamentos militares para investir em educação e saúde durante os próximos meses de 98. Para os próximos três anos, serão US$ 65 bilhões distribuídos entre estas áreas. 11 Bilhões somente para preparar melhor a mão de obra de jovens…

Nós, os brasileiros, precisamos ir mais rápido ou seremos colonizados.

————————————————————————– O GRANDE MILAGRE

A meu ver, o verdadeiro grande milagre da neurociência e da tecnologia moderna consiste em tomar homens comuns, cativá-los, faze-los acreditar que podem realizar o que quer que seja, e depois, por meio da organização apropriada, dispô-los de modo a ter o seus conhecimentos e aptidões, combinado com o de outros igualmente comuns, em prol de um objetivo compartilhado.Assim, todos estarão felizes e o sucesso de qualquer empreendimento, estará garantido.

————————————————————————– PERFIL DOS EXECUTIVOS

Nesta questão faço uma adaptação da definição que Henry Hazlitt, editorialista do New York Times fez do que é ler Drucker quando confessou-se desorientado ao se aprofundar no “vocabulário especializado e pessoal” do observado. A meu ver, muitas grandes organizações tem executivos brilhantes. Mas, eles também possuem vocabulário próprio e a maioria das vezes ininteligível. Assim são como um carro que o motorista está dirigindo na neblina com os faróis altos.

Por alguns breves momentos, a visão da estrada é possível, então, ele vê novamente o nevoeiro; apesar dos faróis estarem acesos e existir iluminação, ela se torna uma mancha brilhante.

————————————————————————– CARGOS E ASSISTENTES

Na maioria das grandes empresas, sejam ou não familiares, o cargo gerencial é um fim de linha.

A empresa que quiser prosperar deve estudar maneiras de manter os gerentes motivados. E não se trata de criar títulos pomposos, como por exemplo o comprador da empresa ser chamado de “coordenador de planejamento de materiais”.

Uma boa pedida é a regra: pagamos e pagamos bem, por um trabalho bem feito e mudamos o título quando a função e a responsabilidade também mudam.

Agora, pior que um cargo sem importância é aquele que não é realmente um cargo. É o caso do “assistente”.

————————————————————————– AGILIDADE E TAMANHO

Dizem alguns que uma grande organização não pode ser versátil. Assim, ela deve ser eficaz por causa de sua massa.

Eu penso que isso eqüivale a agir como o brontossauro, que cresceu tanto em massa, que acabou sendo confinado a se movimentar apenas dentro d’água…

————————————————————————– OS EXECUTIVOS DAQUI E OS DE LÁ

A maioria dos executivos brasileiros deveria aprender com os ingleses que um fracasso é tão importante quanto um sucesso. Esses ingleses, sabem que quando perdem, o mundo não acaba, e podem ganhar em outra oportunidade muitas vezes disputada nas mesmíssimas condições na qual foram derrotados.

Aceitar uma perda de bom grado, não permitir que ela derrote a auto estima organizacional e individual, admitindo que foi justificada pelas observação das regras é estar se preparando cada dia para perder menos.

————————————————————————– TRABALHO PRODUTIVO SEM PRAZER?

Não pode existir trabalho produtivo sem prazer, o que nem sempre depende da razão, porém mais freqüentemente, da imaginação. Deve-se permitir que os trabalhadores de todos os níveis não apenas executem as tarefas, mas que o façam a seu próprio modo.

O trabalho preenche todo tipo de necessidade; quanto mais inculto o trabalhador, menos sabe sobre sua vida interior. Não possuem consciência de suas necessidades mais complexas.

A medida que se torna capaz de fazer mais coisas por si próprio, menos necessidades suas são satisfeitas somente por outras pessoas, e tampouco podem continuar a ser satisfeitas apenas na fantasia.

Ele se reconhece capaz de desenhar seu próprio futuro, o trabalho torna-se um meio do qual se utiliza. A produção, é espontânea e o torna feliz.

————————————————————————– O AMOR PELA EMPRESA

Inicialmente todos os trabalhadores começam amando as organizações que os acolhe; depois de um certo tempo, julgam-nas; raramente - se é que algum dia o fazem - as perdoam.

Na maioria das vezes, não mantemos relacionamentos comerciais com empresas para as quais já trabalhamos.

Isso é uma perda irreparável. As empresas produtoras de alimentos, por exemplo, - duas delas nas quais pesquisei esta atitude durante doze meses - fomos obrigados a reconhecer que seus ex-empregados, preferem comprar os produtos de outra marca…o mesmo se dá com relação a hotéis, e serviços.

Com relação aos Bancos, então nem pensar. Os ex-bancários, nem pensam em manter contas com a instituição para a qual trabalharam. O motivo alegado para esse “ódio” é que segundo os mais de 500 entrevistados, eles enquanto trabalharam não eram úteis, por que agora iriam retribuir?

Qualquer trabalhador que se sentir útil.

Se ele descobre que não é, o seu prazer de trabalhar fica reduzido e assim, não aplica seu conhecimento em prol do resultado.

Aí, instala-se o sentimento de repulsa.

————————————————————————– PEQUENAS COISAS? NÃO EXISTEM

O alcance do que pensamos e fazemos é limitado por aquilo que deixamos de notar.

E porque deixamos de notar isso, é que fazemos tão poucas coisas para mudar.A SECA

A seca é um fato emocional. Desperta, aqui e em todo o Brasil, uma grande piedade. No entanto, a seca de uma região geográfica, não se acaba. Portanto, piedade e solidariedade não resolverão a situação. Por mais obras que o homem possa fazer, ele não irá comandar a natureza, pelos menos a curto prazo.

Em meu entender, as obras devem ser feitas visando circunscrever a partir de um manancial os efeitos da seca. Não adianta nada perfurar poço, construir açude que já se sabe terá duração sazonal. No caso do Nordeste, o ideal é a partir do rio São Francisco, criar redes capilares para manter a água em cima do solo e otimizar o aproveitamento.

Em 15 de março de 1941, circulavam nos gabinetes oficiais vários programas, todos remetiam às seguintes soluções:

1_ perfuração de 150 poços profundos - no ano de 1941,

2_ construção de 90 açudes nas fazendas do sertão nos anos de 1941 e 1942…

Programas como esse, na época, e outros similares ainda hoje, apenas consomem milhares de recursos econômicos e “mascaram “ o ambiente.

Mas, já foi escrito um plano de autoria do então ministro Apolônio Sales que preconizava uma solução senão definitiva bastante interessante.

Seria a construção de uma via de ligação ferroviária que se chamaria TRANSORDESTINA ligando a Bahia ao Ceará, Piauí e Pernambuco, o que facilitaria a migração humana e de produtos. Paralelamente imaginava uma colonização agro-industrial…

Consta da exposição de motivos: (…) aí, o governo não precisa despender milhões de contos em barragens, para prender água… não precisa motores nem combustível para transportar água…a água pode percorrer grandes distância apenas construindo-se valas… as indústrias que já estão atraídas pela alta produtividade das terras, pela proximidade com a matéria prima e pelo trabalho barato do homem…formarão os núcleos de desenvolvimento que acolherão a população esparsa… onde a água não chegar, muda-se o povo.

Aí está de fato a solução. Construir a partir do São Francisco, redes de desenvolvimento que permita ao homem que está esparso por todo o sertão, deslocar-se e fixar-se onde as condições climáticas permitem a vida e desenvolvimento.

Hoje, assistimos ao clamor popular para que se invista aqui ou acolá, apagando incêndios que se sabe, vão se repetir. Isso eqüivale a dar esmolas. Atende-se isoladamente um ou outro, sem visão de conjunto.

Um programa que vise solucionar de vez a situação deverá considerar as perdas humanas e de território - uma relação custo benefício tão conhecida de nossos administradores - em algum momento, poderá não ser viável, tentar levar água a certas localidades, neste caso, isola-se a região e remove-se as pessoas. Atitude rápida, eficaz, definitiva e com custos reduzidos.

O povo nordestino que eu aprendi a conhecer, tenho certeza: retribuirá com trabalho, e a terra, bem está mais do que provada a sua capacidade produtiva.

Interessante que ao se fazerem enormes hidrelétricas, as populações das áreas que vem a se inundar são removidas sem a menor cerimônia, a maioria das vezes de regiões nobres e altamente produtivas, e no caso nordestino, que tipo de preconceito se nutre contra esta solução?…

O povo precisa ser informado desta opção e os Governos agirem com tecnicidade.

————————————————————————– A MULHER NA ECONOMIA

A mulher tem um senso de economia e de ordem admirável. Tem um senso de previdência superior ao dos homens. A primeira empresa ou nação que reconhecer isto liderará o mundo.

————————————————————————– A SUFICIÊNCIA

Existem indivíduos que, se valessem uma quinta parte do que supõem ser, não caberiam nesse mundo, nem no outro. Os caboclos os definem como “peixes roncadores”. O ronco é a única forma que usam para mostrar a força.

Nas corporações há sempre um que ronca mais do que os outros, que impõem decisões, que fala e discute batendo nas mesas, gesticulando, fazendo barulho, obstruindo, cansando e iludindo. É tido como um indivíduo suficiente e recebe importância durante um certo tempo.

Acabado o ronco, é que se vê quanto a suficiência obtida desta forma, é inimiga da razão.

————————————————————————– A VIDA É HARMONIA

Cada dia fica mais evidente que a vida é harmonia, e é melhor quando todos podem participar dos mesmos bens, dos mesmos sofrimentos e da mesma felicidade.

Não há lugar mais para o homem indiferente, fechado nos círculos dos seus negócios, nada vendo, nem sentindo além dos próprios interesses.

O mundo individualista, em que o ideal era viver para si mesmo, era a prosperidade e o bem-estar pessoal, a fortuna, o dinheiro, a posse das coisas materiais, esse mundo, ninguém tenha mais dúvidas, está no fim.

As empresas para prosperarem neste novo mundo, devem repelir essa conduta.

————————————————————————– A MORAL NOS NEGÓCIOS

A moral é necessária em tudo. Não há profissão, nem forma de vida, sem a sua ética. Se ainda há quem suponha que o comércio é uma arte de ganhar, por qualquer meio, está errado. Errado e perdido, porque não logrará enganar muitas vezes. Evidentemente que o ato de comerciar é uma especulação, mas isto não quer dizer que o interesse não tenha limites honestos.

A meu ver, deve existir sim, uma “polícia” para o comércio, que se encarregara de persuadir os maus negociantes, seja divulgando seus feitos, seja trabalhando para educar.

Esse é um papel para a sociedade e quem sabe para o futuro dos sindicatos.

————————————————————————– O FUTURO DO BRASIL

Se faz necessário e urgente que meditemos, toda a Nação, em união e nos voltemos ao civismo para unir o Brasil em torno de ideais aglutinadores, expulsando de nosso convívio o que está podre, banindo de nossas hostes a corrupção desenfreada, que dilapida o orgulho nacional, aguça o individualismo e corrompe a mente dos desavisados, que na busca do sucesso individual não se conscientizam que o bem-comum concede a felicidade coletiva, a ordem, o emprego, a educação, a saúde e o progresso.

Eu acredito que por mais força que façam alguns, o povo brasileiro jamais permitirá a destruição.

Seremos uma grande nação, disso eu não tenho dúvidas.

————————————————————————– ATRIBUIÇÕES EMPRESARIAIS

Um ser humano é uma parte do todo chamado universo - uma empresa é criada por esse ser. Não importa a posição, ele experimenta por si mesmo pensamentos e sensações.

No entanto, há uma espécie de ilusão ótica de sua consciência. Essa ilusão torna-se uma prisão; restringe-nos aos nossos desejos pessoais e à afeição pelo círculo de pessoas que nos são próximas.

A tarefa principal das organizações é alargar esse círculo, a fim de apreender toda criatura viva, e a totalidade da beleza e da natureza de sua existência.

Ainda não se consegue realizar isso completamente, mas o esforço por tal objetivo é nele mesmo um fundamento para a segurança e crescimento.

Serão as organizações com essas características que dominarão o mundo.

  1. COMPROMISSO

I - Faço o que faço por amor ao desenvolvimento e desejo o bem estar da humanidade.

II - Desejo imprimir ao meu subconsciente a idéia de honestidade - portanto agirei honestamente em todos as minhas transações.

III - Acredito que perdoando, ajudo a firmar meu caracter, assim sendo perdoarei sempre, não procurarei saber quem está certo e sim, o que é certo.

IV - Eu tenho a certeza que o caracter de alguém é a somatória de suas ações, portanto serei sempre generoso e sincero.

V - Nunca usarei minha voz ou pena, ou gestos para caluniar, ou falar mal de alguém, é uma triste moral .

VI - Não deixarei meu cérebro desocupado, para evitar que flutuem nesse espaço pensamentos destrutivos .

VII - A maior colheita de tribulações que o mundo recebe advém de sentimentos de inveja, egoísmo, ciúme, malícia, dúvida, medo e pessimismo, portanto DOMINAREI ESSA TENDÊNCIA.

VIII - Manterei minha mente ocupada com pensamentos que tendam para a realização de meus objetivos .

IX - Compreendo que meu caracter se desenvolve, por meio de meus atos e pensamentos; por isso evitarei com cuidado tudo o que interferir com este desenvolvimento.

X - Toda a felicidade duradoura é conseguida por meio do auxilio que prestamos ao nosso semelhante.